Lanche do dia e novo plano alimentar

Havia parado de postar as fotos dos meus lanches diários porque a vida desandou de um jeito que eu nem sei descrever. Mas bom, vou colocar o que preparei para hoje e aproveitar para falar que agora sigo um plano alimentar preparado por uma nutricionista funcional. A ideia é combinar alimentos nutritivos que farão bem para a minha saúde (mais especificamente para os meus problemas gerais, como dores de cabeça e cansaço). Gostei bastante da proposta de uma rotina alimentar personalizada para as minhas condições e completamente focada nos benefícios. Eu diria até que é uma nutrição inteligente.

O que eu mais gostei na minha nutricionista é que ela não me passou um cardápio para seguir e, se eu cumprir, vou poder “ograr” com um bolo de chocolate. A ideia não é fazer o que devo fazer para ser recompensada com o que supostamente importa (comer o bolo). A ideia é simples: comer o que faz bem para ficar bem, apenas. O que realmente importa é a qualidade de vida e isso só será possível quando eu entender que esse cardápio diário não está ali como um sacrifício. A alimentação diária já é automaticamente transformada em benefício.

Nutrição inteligente

Nutrição inteligente

 

E para hoje, frutinhas:

frutas, frutas, mais frutas

frutas, frutas, mais frutas

 

Chá do dia! 

Bom, agora também tenho que tomar chá todos os dias (nem reclamei, é claro). Estou em um processo de adaptação para não precisar adoçar mais. Ainda vou demorar um pouco para chegar nesse nível, mas enquanto isso vou usando minhas gotinhas de Stevia. Nessa foto, coloquei o meu KIT CHÁ, presente todos os dias religiosamente na minha mochila. No potinho amarelo eu coloquei canela em pó para diminuir a quantidade de adoçante e para deixar o gostinho mais interessante. No potinho azul, algumas castanhas (nozes, baru, castanha do pará e amêndoas).

Chá do dia

Chá do dia

Advertisements

“Dos males, o menor”

Domingo retrasado (faltou tempo de postar logo aqui) fiz uma pizza, digamos, inocente. Deixei de ser uma viciada em pizza já faz um tempinho. Antigamente, eu era mesmo muito louca por esse tipo de comida. Hoje, gosto, claro, mas também não morro se não comer. De vez em quando bate uma vontade e aí a gente tenta pensar criativamente na hora de se jogar na cozinha. Por sorte, encontrei em um supermercado uma massa para pizza integral da Wickbold (propaganda gratuita, eu sei, mas é uma dica bacana mesmo) e resolvi testar.

DSC06152

Não sou cozinheira e nunca estudei técnicas de culinária, mas adoro cozinhar e acho que isso já é um ponto a se considerar para encarar um desafio.

Basicamente, fiz a pizza assim:

Molho

  1. Quatro tomates
  2. Cebola
  3. Sal
  4. Mel

Recheio

  1. Queijo branco
  2. Pimentão colorido
  3. Cebola
  4. Tomates cereja
  5. Orégano

Modo de preparo

Claro que não fiz nada ousado, mas vamos lá: para o molho, coloquei os tomates e a cebola picada dentro de uma panela de pressão e esperei aproximadamente 15 minutos até que ficassem bem cozidos. Esperei esfriar um pouco e os bati em um liquidificador. Depois, deixei encorpar em fogo baixo no fogão. Coloquei sal e o mel, provei, e voilà.

O recheio foi fácil, fácil. Só coloquei os ingredientes em cima da massa de modo que ficassem apresentáveis. Levei a pizza ao forno por 20 minutos. É sempre bom dar uma olhadinha para não deixar as bordas queimarem muito (aconteceu comigo na primeira tentativa). É claro que o recheio fica a critério de cada um. O meu ficou uma delícia 🙂

 DSC06148 DSC06369 DSC06371 DSC06380