Marmita nossa de cada dia

Há umas três semanas, comecei a trabalhar em um novo lugar. E com a novidade, a mudança de horário foi inevitável. Daí que eu precisei adaptar a minha rotina todinha. O primeiro passo foi modificar a minha lancheira. Agora, levo lanchinhos e a salvadora da pátria dos famintos, a marmita.

Sempre coloco meu almoço em um pote pequeno de vidro (não deixa cheiro, é mais fácil para lavar e não gera problemas de saúde por causa do plástico quente no micro-ondas). O bom é que sempre como mais ou menos a mesma quantidade de comida e acabo criando um padrão alimentar. Mas é claro, às vezes eu como mais, às vezes menos. Depende muito.

Preparo as refeições na noite anterior. Geralmente, deixo algumas coisas já pré-preparadas, como cortar as peças de carne e deixar no congelador, separar os vegetais e cortá-los. Não demoro nem 30 minutos cozinhando porque na hora do “vamovê” já está tudo no jeito e é só cozinhar rapidinho. É super prático, fácil e muito mais barato 🙂

Aqui, algumas das marmitas que já preparei:

Imagem ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Imagem

Advertisements

“Dos males, o menor”

Domingo retrasado (faltou tempo de postar logo aqui) fiz uma pizza, digamos, inocente. Deixei de ser uma viciada em pizza já faz um tempinho. Antigamente, eu era mesmo muito louca por esse tipo de comida. Hoje, gosto, claro, mas também não morro se não comer. De vez em quando bate uma vontade e aí a gente tenta pensar criativamente na hora de se jogar na cozinha. Por sorte, encontrei em um supermercado uma massa para pizza integral da Wickbold (propaganda gratuita, eu sei, mas é uma dica bacana mesmo) e resolvi testar.

DSC06152

Não sou cozinheira e nunca estudei técnicas de culinária, mas adoro cozinhar e acho que isso já é um ponto a se considerar para encarar um desafio.

Basicamente, fiz a pizza assim:

Molho

  1. Quatro tomates
  2. Cebola
  3. Sal
  4. Mel

Recheio

  1. Queijo branco
  2. Pimentão colorido
  3. Cebola
  4. Tomates cereja
  5. Orégano

Modo de preparo

Claro que não fiz nada ousado, mas vamos lá: para o molho, coloquei os tomates e a cebola picada dentro de uma panela de pressão e esperei aproximadamente 15 minutos até que ficassem bem cozidos. Esperei esfriar um pouco e os bati em um liquidificador. Depois, deixei encorpar em fogo baixo no fogão. Coloquei sal e o mel, provei, e voilà.

O recheio foi fácil, fácil. Só coloquei os ingredientes em cima da massa de modo que ficassem apresentáveis. Levei a pizza ao forno por 20 minutos. É sempre bom dar uma olhadinha para não deixar as bordas queimarem muito (aconteceu comigo na primeira tentativa). É claro que o recheio fica a critério de cada um. O meu ficou uma delícia 🙂

 DSC06148 DSC06369 DSC06371 DSC06380