Marmita nossa de cada dia

Há umas três semanas, comecei a trabalhar em um novo lugar. E com a novidade, a mudança de horário foi inevitável. Daí que eu precisei adaptar a minha rotina todinha. O primeiro passo foi modificar a minha lancheira. Agora, levo lanchinhos e a salvadora da pátria dos famintos, a marmita.

Sempre coloco meu almoço em um pote pequeno de vidro (não deixa cheiro, é mais fácil para lavar e não gera problemas de saúde por causa do plástico quente no micro-ondas). O bom é que sempre como mais ou menos a mesma quantidade de comida e acabo criando um padrão alimentar. Mas é claro, às vezes eu como mais, às vezes menos. Depende muito.

Preparo as refeições na noite anterior. Geralmente, deixo algumas coisas já pré-preparadas, como cortar as peças de carne e deixar no congelador, separar os vegetais e cortá-los. Não demoro nem 30 minutos cozinhando porque na hora do “vamovê” já está tudo no jeito e é só cozinhar rapidinho. É super prático, fácil e muito mais barato 🙂

Aqui, algumas das marmitas que já preparei:

Imagem ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Imagem

Advertisements

Lanche do dia e novo plano alimentar

Havia parado de postar as fotos dos meus lanches diários porque a vida desandou de um jeito que eu nem sei descrever. Mas bom, vou colocar o que preparei para hoje e aproveitar para falar que agora sigo um plano alimentar preparado por uma nutricionista funcional. A ideia é combinar alimentos nutritivos que farão bem para a minha saúde (mais especificamente para os meus problemas gerais, como dores de cabeça e cansaço). Gostei bastante da proposta de uma rotina alimentar personalizada para as minhas condições e completamente focada nos benefícios. Eu diria até que é uma nutrição inteligente.

O que eu mais gostei na minha nutricionista é que ela não me passou um cardápio para seguir e, se eu cumprir, vou poder “ograr” com um bolo de chocolate. A ideia não é fazer o que devo fazer para ser recompensada com o que supostamente importa (comer o bolo). A ideia é simples: comer o que faz bem para ficar bem, apenas. O que realmente importa é a qualidade de vida e isso só será possível quando eu entender que esse cardápio diário não está ali como um sacrifício. A alimentação diária já é automaticamente transformada em benefício.

Nutrição inteligente

Nutrição inteligente

 

E para hoje, frutinhas:

frutas, frutas, mais frutas

frutas, frutas, mais frutas

 

Chá do dia! 

Bom, agora também tenho que tomar chá todos os dias (nem reclamei, é claro). Estou em um processo de adaptação para não precisar adoçar mais. Ainda vou demorar um pouco para chegar nesse nível, mas enquanto isso vou usando minhas gotinhas de Stevia. Nessa foto, coloquei o meu KIT CHÁ, presente todos os dias religiosamente na minha mochila. No potinho amarelo eu coloquei canela em pó para diminuir a quantidade de adoçante e para deixar o gostinho mais interessante. No potinho azul, algumas castanhas (nozes, baru, castanha do pará e amêndoas).

Chá do dia

Chá do dia

Na lancheira de hoje

Uvas. Polenguinho.  Baby carrots. Nozes. Damascos secos. Barus (escondidos).

Uvas. Polenguinho. Baby carrots. Nozes. Damascos secos. Barus (escondidos).

Aqui, estreio também um espaço só sobre as comidinhas que carrego pra lá e pra cá no meu dia a dia agitado. Deixo claro, de antemão, que não sou nutricionista, muito menos metida a entendida quando o assunto é alimentação e nutrição. Mas, claro, leio muitas coisas, acompanho blogs, converso com pessoas mais entendidas e, enfim, vou criando percepções de coisas que acredito serem boas para a minha saúde. Se eu errar, aprendo e deixo de lado. Se eu acertar, continuo, incremento, aprimoro… Estou super hiper aberta para receber sugestões de lanchinhos (ninguém é de ferro para comer sempre as mesmas coisas) e correções (viver é aprender, aprender é viver).